19 de mar de 2016

A Bruxa... Está solta!


Saudações a você que veio aqui para ler a respeito deste filme que tem sido muito elogiado ultimamente. Eu sou o GOT e contar-lhes-ei minha experiência ao ver este filme, e minha opinião sobre o mesmo, e caso você não tenha visto o filme ainda e não quer tomar spoilers, é melhor parar de ler antes que seja tarde demais.


O primeiro contato que tive com A Bruxa, foi quando me disseram o que estavam falando a respeito dele, que era o filme de terror mais sinistro de todos os tempos, que pessoas passavam mal durante as exibições nos cinemas, que era o filme mais perturbador já feito, que líderes de seitas satânicas elogiaram o filme por estar muito bem feito e preciso, e, o que me fez querer ver o filme, que o mestre do terror Stephen King teve medo ao ver o filme. Ouvindo tudo isso, bastou o convite de um amigo para que eu aceitasse prontamente ir assistir a essa obra profana. Chamei mais um amigo, e ele outro, e nós quatro encaramos uma fila quilométrica para comprar o ingresso. A sessão seria às 20:40, mas já havíamos perdido o começo, então assistiríamos à sessão das 22:10, mas, para nossa surpresa, haviam pouquíssimos lugares disponíveis, espalhados e pra nossa sorte, havia uma sessão às 00:20! Uma oportunidade de ouro, assistir ao filme de terror mais terrível de todos os tempos após a meia-noite, e compramos os ingressos, ainda faltando aproximadamente  quatro horas para o filme começar.

Chegando a hora do filme começar, um dos amigos se deu conta de que havia perdido o ingresso, e teve que comprar outro às pressas... A Bruxa já dava sinal de sua presença maldita. O filme começa contando a história de uma família Inglesa que havia se mudado para a Nova Inglaterra, e na colônia em que viviam, eles, que eram católicos, não se adaptaram às doutrinas evangélicas que todos na colônia seguiam, e a família é banida da colônia, e então constroem uma casa e uma fazenda no meio do nada, próximo a um bosque. Isso provavelmente se passou depois de alguns anos, mas isso o filme não explica, apenas que eles já estão estabelecidos nessa fazenda, onde as plantações de milho não dão uma boa colheita, e a família possui ovelhas, e dentre outros animais, um singelo BODE PRETO, carinhosamente chamado de Phillip. Logo no começo, a personagem principal sai da casa para o quintal sombrio para brincar com o seu irmão, um bebê, que chorava, pois a própria mãe não conseguia fazer o bebê calar a boca e só sua irmã, Thomasin conseguia fazer a criança se acalmar. Porém, durante uma simples brincadeira de Onde está o bebê”, ao esconder o rosto e depois olhar umas três vezes para o bebê, a criança simplesmente desaparece, sem ninguém ao redor à vista. Então, aparece a sequência em que surge a bruxa, envolta em sua capa vermelha, correndo não tão rapidamente por entre as árvores do bosque, carregando o bebê, e já em sua cabana, ela bota o bebê sobre uma mesa, e após acariciar sua barriga, ela pega uma faca, levando-a em direção à barriga do bebê, e nessa hora eu pensei Caralho, se eles mostrarem ela matando a criança, esse filme vai ser sinistro! e se isso realmente acontecesse, eu até entenderia o fato de falarem que as pessoas passaram mal ao ver o filme... mas logo corta a cena para uma onde a bruxa está nua, com seu corpo grotesco socando algo, como se moesse grãos, mas ao aproximar a cena e o sangue e carne aparecerem, a gente entende que ela matou o bebê e o triturou... não que eles mostrem isso explicitamente, mas dá perfeitamente pra entender o que aconteceu, e pra finalizar, a bruxa começa a esfregar o sangue da criança por seu corpo nefasto. Sim, isso é muito terrível, e é o ponto mais perturbador de todo o filme, logo no começo.

Depois o filme segue com a família, duas semanas depois, ainda abalada pelo desaparecimento do bebê, e aí a gente começa a perceber que aquela família, por mais religiosa que fosse, todos carregavam pecados terríveis. Thomasin, a personagem principal, ao orar a Deus, pede perdão por seus pecados, que consiste na quebra de todos os dez mandamentos em pensamento. Katherine, a mãe perdera a fé em Deus após o desaparecimento do bebê. O filho mais velho, Caleb era tarado na irmã Thomasin. William, o pai, tinha medo da mulher, chegando ao ponto de deixar seus filhos sofrerem por coisas que ele fez, e mentindo inúmeras vezes, sem contar que planejava levar Thomasin até a colônia para vendê-la para alguma família, para tentar resolver os problemas da família. Samuel, o bebê levado pela bruxa, não havia sido batizado, o que faz as lamentações de Katherine serem ainda maiores, reclamando com William que se eles tivessem batizado o bebê como ela queria, a criança agora não estaria no inferno. E para fechar, Mercy e Jonas, os Gêmeos... tudo correria normal para eles, até que, vemos os dois correndo atrás do BODE PRETO cantando uma canção de teor puramente infernal, do tipo Black Phillip, Black Phillip, a coroa cresce em sua cabeça, ele nos liderará, etc... não lembro agora toda a letra da canção, mas era com certeza uma adoração à Satanás, e que o BODE PRETO seria o próprio... o que me faz pensar: Por que DIABOS uma família religiosa teria um BODE PRETO, e não acharia estranho seus filhos pequenos correndo atrás do mesmo e cantando uma musica infernal como aquela? O filme desenrola e descobrimos que os gêmeos supostamente falam com o tal BODE PRETO, e que eles viram a bruxa fugindo com o bebê Samuel. Nessa parte, Thomasin, para botar medo na irmã Mercy chega a encenar que ela era a bruxa, e começa a citar coisas profanas, como se fosse uma bruxa experiente, e fala do diabo, de pacto, de ter assinado o livro dele e tal, e se fosse o caso dela realmente ser uma bruxa, beleza, mas ela não era, e de onde ela sabia de tanta coisa, não explica, pois ela fez aquilo só pra assustar a irmã, mas ficou muito forçado uma camponesa comum saber de coisas tão obscuras.

O filme tinha de tudo para ser um filme de terror muito foda, a ambientação é perfeita, o figurino, os atores são muito bons e fazem seu papel muito bem, principalmente Black Phillip, que é o personagem mais interessante de todo o filme, na minha opinião, e a trilha sonora é muito foda, tendo horas que o silêncio é meio angustiante, e quando algo sinistro está para acontecer, um violino frenético e macabro começa a tocar, e tem vezes que vozes sinistras sussurram medonhamente. Porém, o roteiro foi muito fraco, e eles tentaram focar no terror mais psicológico do que nos rotineiros sustos, mas o filme não te dá medo em momento algum... Em inúmeras cenas que você pensa que vai aparecer alguma coisa, nada acontece. Eu passei o filme todo prestando atenção no fundo das cenas, para tentar achar algum vulto que fosse passar, talvez a bruxa, ou algo que desse aquele medo de ver que o perigo estava ali pertinho mas que os personagens não haviam percebido, entretanto acabei frustrado... teve uma cena em que uma personagem está deitada no chão chorando, e atrás dela a casa ocupa toda a tela, e a personagem é apenas uma pequena parte na tela, e você começa a olhar para o cenário, procurando alguém dentro da casa, ou no fundo do cenário, espera que um vulto passe, que a porta se feche sozinha, mas nada, e a cena dura alguns bons segundos sem nada acontecer... Poucas são as cenas boas do filme, como a parte em que a bruxa se banha no sangue, outra em que Katherine fica sob algum tipo de ilusão e acha que seus filhos voltaram e ao amamentar o bebê Samuel, na verdade era um corvo que bicava seu seio (e depois ela volta pra cama como se nada tivesse acontecido, e ninguém estranha a mancha de sangue na roupa dela pela manhã...), e na parte antes do final, quando Black Phillip responde à Thomasin, e a seduz com coisas que ela jamais conseguiria, conduzindo-a a vender a alma, e ele se torna uma presença escura que mal da pra ver os dedos e parte do rosto, e sua voz é muito maneira. Fora isso, o filme deixou muito a desejar. O Filme é muito clichê, e não é difícil ir adivinhando o que está para acontecer conforme o filme segue, e o final se torna muito previsível, acabando meio que do nada, fazendo nos sentir idiotas por terem perdido tempo com ele... A bruxa mesmo só aparece umas três vezes no filme, e mesmo assim muito rápido.

Mas, justiça seja feita, deve-se dar os parabéns ao pessoal do Marketing do filme, pois eles me convenceram a ir ao cinema, assim como deve ter sido o caso de muitos. Eu não consideraria um filme de terror, talvez um suspense... talvez ele tenha sido aclamado como terrível por tratar de assuntos como incesto, pedofilia, corrupção da família e adoração à Satanás, mas de longe é um filme de terror... Um dos meus amigos teve mais medo do trailer de Invocação do Mal 2 do que com todo esse filme, e eu senti mais medo de chegar em casa e perceber que era três horas da manhã, conhecida popularmente como a hora do demônio, do que com qualquer parte do filme. Talvez eu até pudesse achar que o problema era eu, por ser exigente demais com filmes de terror, mas fiquei aliviado ao ver que todo mundo naquela sessão estava falando mal do filme, assim como declarações de pessoas que viram o filme depois. E você? Assistiu A Bruxa e concorda comigo e com todos que estavam no cinema comigo? Discorda e acha que estou dizendo merda? Ainda não viu?(FikDik rs) deixe sua opinião a respeito do que leu aqui, ou do que achou do filme... seja lá qual for sua opinião, uma coisa é certa: A Bruxa está solta... e ainda está em cartaz!

Vejo vocês na próxima missão!

Um comentário: