17 de jan de 2017

D&D 5 Novo Juramento Sagrado: Juramento à Lei

http://lendasdeazeroth.com.br/wp-content/uploads/2013/10/Arthas-001.jpg
Paladinos muitas vezes são alvos da cegueira da razão.

Os paladinos são bastiões de justiça em terras sem lei. Viajam por dias pelo interior do reino, masmorras à dentro, punindo malfeitores e consertando o que há de errado pelo mundo. Ele é juiz e executor, mais por falta de estrutura no local onde atua que por outra razão. Empunhando o poder divino de acusar e punir, não é incomum, por se encontrar muitas vezes nesta posição, a soberba seja o motivo da queda de grandes guerreiros sagrados. Incontáveis são as tristes histórias dos bardos sobre nobres cavaleiros que entregavam a fúria divina em campo de batalha e agora são algozes do próprio povo e da própria alma. Passar muito tempo no campo como juiz e executor das leis divinas, as vezes, é poder demais até para as almas santas dos nobres paladinos. E se o poder corrompe, o poder absoluto corrompe absolutamente.
Existem paladinos, entretanto, que recusam este papel duplo e juraram seguir as leis acima de tudo, fazendo o possível e o impossível para que os criminosos não escapem dos rigores da lei. Eles capturam aqueles que fazem o mal e os levam à justiça, quebrando ciclos de violência e salvando vidas e almas, a própria inclusive. Estes são os paladinos que fizeram o Juramento à Lei.

Paladinos-detetive

Acostumados a atuarem em áreas mais civilizadas, os paladinos que fizeram o Juramento à Lei normalmente compõem uma elite de seguidores de deuses da justiça que cuidam de casos especiais, principalmente aqueles que envolvem a nobreza e a família real, mas não é de forma alguma incomum vê-los na cola de algum assassino que age nas esferas mais baixas da sociedade ou adentrando masmorras em busca de algum esconderijo de malfeitores. Normalmente eles veem o caminho da aventura como um modo de capturar criminosos e promover a verdadeira justiça, que o povo sofrido tanto carece de testemunhar, pelos cantos mais longínquos do reino. 

Verifique com seu mestre antes de usar este arquétipo na sua mesa.


















Nenhum comentário:

Postar um comentário