30 de jun de 2017

Baú do tesouro: CORTA! IT CAME FROM THE LATE, LATE, LATE SHOW!


O que um grupo de vampiras alienígenas surfistas ninfomaníacas assassinas, um bruxo chinês e seu exercito ninja de Koreatown e um monstro gigante feito de lixo tóxico têm em comum? Isto mesmo, eles parecem figuras saídas de algum filme Trash. Agora, adivinhe quem será o personagem principal de todos estes filmes?

Isto mesmo, você.

Este é o mundo de It Came From The Late, Late, Late Show, criado por Bradley K. McDevitt e Walter H. Mytcznskyj, lançado pela Stellar Games em 1989, um RPG de humor que satiriza as produções cinematográficas de baixa renda, cheias de "defeitos" especiais, atuações ruins e resultados muito divertidos!  





Os jogadores são atores que interpretam personagens de filmes-B ("Muito prazer, meu nome é Troy McClure, vocês devem me conhecer como o capitão Hauser de Praia Demoníaca IV e Praia Demoníaca V: Vingança dos Maiôs...") e cada aventura, ou filme, se passa em um cenário tipico destas produções (desde filmes de alienígenas, caubóis, kung-fu até uma mistura dos três!) e o mestre é o diretor do filme ("Olá, meu nome é Lester Balls e eu fui o diretor de StarBlaster Z e Vampiros Dragões de Júpiter. Prontos para filmarem Praia Demoníaca VI: Biquínis em Chamas? Então, vamos lá!") A ideia é ser ruim de forma proposital, sem medo de  ser bizarro, louco ou cafona, a diversão está toda no quão horrível as atuações e a história do filme serão, o que vai acabar arrancando gargalhadas de todos na mesa. 

Prontos?


LUZ, CÂMERA... 


Late Show é diversão garantida não apenas para os jogadores mas também para o mestre que "atua" no papel de diretor da película, da forma mais canastrona possível. Ele seleciona os papéis e coordena as tomadas, podendo pedir para os atores repetirem a cena ("Pode fazer de novo, dessa vez com mais horror nos olhos? Vai, ação!") e dando dicas sobre atuação. Ao jogador cabe improvisar ao máximo, podendo até mesmo mudar a cena no meio ou acrescentando fatos que não estavam combinados, tudo para "enriquecer" a cena ("Meu Deus, eu me lembro desta criatura! Ela matou meu cãozinho, Snoopy, natal passado!"). Deve ficar claro que o mestre e os jogadores não são rivais, nem nada do tipo, os jogadores devem sim ter participação ativa nas alterações da historia e o mestre não deve levar isso para o lado pessoal. Assim como o mestre deve pedir mudanças de roteiro, uma atuação mais dramática e causar infortúnios para os atores ("se assim meu agente quer mais dinheiro? Este não foi o combinado!"). Tudo deve funcionar a favor do filme.



Além de lidarem com os terrores além do espaço e lobisomens comedores de cheerleaders, o mundo real vive interferindo: greves de roteiristas, falta de dinheiro para equipamentos, um entregador de pizza que se perde e acaba entrando na filmagem, propagandas, produtores inescrupulosos... É sempre bom lembrar aos jogadores de que se trata apenas de um filme e eles devem lidar com esses problemas da melhor maneira possível e terminar o trabalho.

AÇÃO!



Como a maioria dos RPGs de comédia, Late Show funciona com regras simples e bem fáceis, dando maior destaque para as interpretações e improvisações dos jogadores. O sistema usa apenas um d10 para rolagens de porcentagem que permitem todas as ações do jogo. As habilidades básicas são Físico, Destreza, Cérebro, Aparência e Fama. Existe uma lista de Talentos, que vão de coisas simples como nadar até as mais absurdas como pilotar naves espaciais. Também existem Talentos de Combate: ataque desarmado, pistolas, espada samurai, lança, serra elétrica, mísseis nucleares e outros. Por se tratar de um jogo de filmes-B, existem todos os tipos de Talentos malucos (existe um chamado Gritar, que permite que os personagens ouçam o grito de seu amigo e corram para ajudá-lo antes que o monstro ataque!). A lista é bem grande, mas acho que deu pra vocês pegarem o espírito da coisa, certo? 

El Santo, o maior herói do México!

A Fama é a habilidade mais importante do jogo, pois ela interfere em seus pontos de vida (Quanto mais famoso, mais difícil de matar!), e também dá acesso a regalias no set de filmagem, como trailer particular, melhores equipamentos em cena, assistente pessoal, melhores papéis e etc... No começo, ainda  não são tão famosos, mas com o passar do tempo acabam se tornando grandes celebridades... de filmes Trash, é claro.

Os atores também podem pedir, se o orçamento couber, dublês que levarão os danos em seu lugar, chamar comerciais no meio de uma luta, pedir um retoque de maquiagem, que recupera alguns pontos de vida e todo o tipo de saída safada para escapar da morte. Uma vez por filme, o jogador pode pedir para "Sair de Cena",  onde ele simplesmente ameaça abandonar o filme. Se for bem sucedido em um teste de Fama, ele pode exigir que o diretor mude uma cena especifica, reescreva ou até mesmo ignore algo já filmado. Caso falhe, o diretor pode castiga-lo por seu ataque de estrelismo, fazendo-o aceitar condições inferiores de trabalho, ou pode simplesmente demiti-lo.




O segredo do jogo está na má atuação, é ela que garante pontos de Fama ao final do filme (caso seu personagem sobreviva, claro). A má atuação está nos exageros, frases clichês e roteiro medíocre. Os atores podem fazer uma dublagem dessincronizada para simular os filmes dublados de kung-fu ou arranjar meios constantes de perder peças de roupa, deixando músculos e decotes à mostra. Talvez o rpgista mais acostumado com D&D demore para pegar o jeito, afinal, o melhor a fazer é esperar a policia chegar ao invés de entrar na floresta escura sozinho atrás do maníaco do serrote, não é mesmo? ERRADO! Não se deve evitar o perigo, não se pode fugir dos clichês! Seja uma loira burra adolescente e vá checar o porão sozinha, seja o mestre do karatê e enfrente os Cinco Lordes do Dragão sozinho se for seu destino, entrem na velha casa abandonada para descobrir o que são as luzes verdes que piscam todas as noites no sótão e pareçam surpresos ao serem atacados pela Coisa Verde de Marte! 

Esse é o segredo da fama.


Este filme é sensacional: Os Picaretas, Late Show puro!



Os pontos de vida também tem uma peculiaridade: os jogadores recuperam 1d10 de pontos de vida a cada minuto de combate, e também a cada uma hora de jogo. Isso se deve pelo fato dos jogadores serem OBRIGADOS a entrarem constantemente em situações de risco e muito idiotas. Mas não se enganem, os monstros podem usar "defeitos" especiais para causar ferimentos mortais aos personagens ("Oh,não, o raio desintegradooooooOOOAAAARRRGH!!!") e se seu submarino nuclear explodir com você dentro, bem, é quase impossível de sair vivo dessa... eu disse quase.

CORTA!

Late Show é o passatempo perfeito para aquele grupo com tempo sobrando e que está afim de se divertir por alguma horas, sem entrar em campanhas infinitas em masmorras gigantescas. O triste é que  o jogo nunca foi traduzido para o português e é bastante difícil de encontrar o material original, mesmo na internet. Mas todas as resenhas e opiniões são sempre bastante positivas, deixando claro que Late Show, se não é um excelente RPG de humor,  é um ótimo divertimento descompromissado. 

Em uma outra oportunidade eu pretendo postar uma adaptação "light" do cenário aqui no blog, usando apenas um dado comum de seis lados (na época eu jogava o saudoso 3d&t, então era o único dado que eu tinha), dando mais informações e ferramentas para um maior mergulho neste universo Trash. Porém, acho que apenas com as informações encontradas aqui vocês serão capazes de criarem suas próprias versões deste clássico do "Terrir".

Então é isso, hora de desligar a TV e esperar por futuras continuações de clássicos ainda não filmados.

Vejo vocês nas reprises da madrugada.

Acharam que eu ia esquecer da Rainha das Trevas?







Nenhum comentário:

Postar um comentário